AvantGarde > Acontece > Tudo sobre esportivos! > Range Rover o primeiro e real SUV

Range Rover o primeiro e real SUV

9 de janeiro de 2018 / 309 / Tudo sobre esportivos!
Facebook It
Tweet It
Pinterest It
Google Plus It

Um ícone mundial não passa batido. O único carro que foi exposto no Museu do Louvre como verdadeira obra do estado de arte industrial moderna. Ele iniciou o segmento que hoje é a principal tendência mundial. Símbolo de força, robustez, luxo e esportividade. Desempenho primoroso e versatilidade impressionante. Nada menos que o Range Rover!

 

Veja também:

MERCEDES G55 AMG, OFF ROAD BRUTAL, MAS COM ESTILO

PORSCHE CAYENNE GTS, O SUV REALMENTE SPORT

BMW X6, OS BÁVAROS DESCOBRIRAM A ALQUIMIA PERFEITA

 

Histórico de sucesso

Nunca um carro foi tão marcante quanto o Range Rover. Os primeiros protótipos foram desenvolvidos na década de 1950. Eram peruas chamadas Road Rover, com tração traseira e motor 2.3 de quatro cilindros em linha. Os projetos acabaram descartados nove anos depois, mas não esquecidos. Em 1969, o protótipo do primeiro Range Rover, recebeu o nome de “Velar”. Esse veículo novo e revolucionário com nome derivado da palavra italiana “velare”, que pode ser traduzida como “cobrir com um véu”. Os primeiros 26 protótipos inclusive vinham com um emblema com o mesmo nome para esconder sua identidade. Após os testes bem-sucedidos com o conceito Velar. O primeiro Range Rover foi revelado para o mundo em 1970. A recepção da crítica foi calorosa, graças à combinação rara de capacidade e design elegante. Ele foi o primeiro veículo a oferecer tração permanente nas 4 rodas e tampa do porta-malas dividida, além do capô tipo “clamshell” que envolve as laterais e da linha de cintura contínua. Inaugurando o segmento de SUV numa época em que o mundo sequer pensava neste tipo de veículo. Ele surpreendia pelo conforto ao rodar, inconcebível nos veículos utilitários vendidos até então. Vários equipamentos eram dignos de sedãs de luxo, como suspensões com molas helicoidais (solução que muitos veículos de passeio nem usavam naquele tempo), sistema de nivelamento automático na traseira e freios a disco nas quatro rodas.

 

Para disfarçar o novo carro, inclusive os Badges de Velar foram colocados no protótipo do Range Rover

 

Robustez fora do comum

Com a popularização de veículos com tração integral voltados não apenas para o trabalho pesado, a Land Rover desenvolveu um novo projeto, o 100-inch Station Wagon – o número de 100 polegadas fazia referência a sua distância entre eixos de 2,54 metros. O veículo era equipado com um 3.5 V8 fabricado pela General Motors, graças a compra pela Land Rover dos direitos de produção do motor. Apesar de ser bastante confortável, o Range Rover conseguia superar obstáculos fora-de-estrada com a mesma facilidade de um Defender. Equipado com caixa de transferência e três diferenciais, permitia que as quatro rodas fossem tracionadas até em pisos normais – a maioria dos sistemas só permite a habilitação da tração total em terrenos de baixa aderência, sob o risco de danificar a transmissão. Assim como os outros modelos feitos pela Land Rover, o Range Rover fez bonito nos ralis que disputou. Foi o veículo mais rápido no primeiro rali Paris-Dakar, perdendo o título para uma moto porque a prova não tinha categorias separadas naquele tempo. Isso sem contar as inúmeras participações no Camel Trophy, um dos raids mais difíceis do mundo – e que teve algumas edições realizadas no Brasil.

Tecnologia no Off Road

O sistema Terrain Response, hoje equipa praticamente todos os modelos da Land Rover. Surgiu no Range Rover em 2007. Bastava um toque de botão para ajustar diversos parâmetros do veículo às mais diversas condições de terreno, incluindo terra, neve e areia. O modelo atual traz uma evolução do sistema, identificando automaticamente qual é o ajuste mais apropriado de acordo com o tipo de terreno em que o veículo está trafegando. A habilidade para o off-road melhorou ainda mais. O Range Rover Vogue teve sua altura livre em relação ao solo elevada em 12,5 milímetros, aumentando os ângulos de entrada e saída. Com o incremento, o SUV agora é capaz de vencer trechos com até 900 milímetros de água sem maiores dificuldades. Toda a robustez associada aos veículos Land Rover não é à toa. No caso do novo Range Rover, o veículo passou por 1,5 milhão de horas de testes de engenharia simulados virtualmente e testes realizados com protótipos por 18 meses em 20 países diferentes.

 

A robustez testada nos diversos cantos do mundo fizeram do Range Rover um ícone de resistência.

 

A versão ecológica

 Apesar de ser constantemente criticado por organizações não-governamentais defensoras da natureza, como o Greenpeace, o Range Rover também é “amigo” do meio-ambiente. Prova disso é o lançamento da versão híbrida dos modelos Range Rover e Range Rover Sport. Ambos trazem o motor 3.0 SDV6 a diesel já vendido na linha e um motor elétrico de 35 kW. A potência combinada de 340 cv e torque máximo de 71,4 mkgf. Segundo a fabricante, o modelo pode rodar até 1,6 quilômetro somente com assistência elétrica. Para demonstrar sua robustez, a Land Rover fez uma viagem da sede da marca, em Solihull (Inglaterra), até o QG da Tata Motors (atual dona da montadora), em Mumbai, na Índia. A expedição Silk Trail 2013 percorreu 17 mil quilômetros, passando por 13 países e dois continentes.

 

Para aplacar a fúria de organizações como Greenpeace, foi lançada a versão híbrida do Range Rover

 

Range Rover, a escolha da realeza

Não bastasse ser o carro preferido de várias celebridades pelo mundo, o n tem uma proprietária bastante especial. Ou melhor, real. A rainha Elizabeth II dispõe de uma frota de veículos Land Rover para realizar deslocamentos. A montadora é uma das empresas a ostentar o selo de garantia (“Royal Warrant”) concedido aos produtos utilizados pela Família Real. Sua Majestade, aliás, já foi até fotografada dirigindo seu Range Rover após sair de uma sessão de caça recreativa no castelo Baltimoral, na Escócia. Duas unidades foram convertidas em “Papamóveis” para servir ao papa João Paulo II durante sua visita à Inglaterra, em 1982. Os carros tinham uma cabine envidraçada bastante alta na parte de trás para que o pontífice pudesse viajar em pé diante dos fiéis.

 

Um Range Rover foi transformado em Papamóvel em 1982

 

O Luxo inigualável através das décadas

Embora já tivesse mais de duas décadas nas costas, o projeto do Range Rover continuava competitivo frente à concorrência americana e asiática. Airbags frontais, suspensão a ar e controle de tração. Após longos 24 anos a segunda geração do Range Rover estreava na Europa. Apesar da forte semelhança com seu antecessor, tratava-se de um veículo completamente novo, com apenas 1% dos componentes aproveitado do primeiro Range Rover que permaneceu em linha após ser renomeado de Range Rover Classic. A proposta de combinar valentia com alto luxo foi mantida: o carro trazia interior revestido em couro Connolly. Já o sistema de entretenimento a bordo e ar-condicionado digital dual zone, num tempo em que a maioria dos rivais trazia apenas climatização convencional. Requinte sempre foi uma das maiores qualidades do Range Rover, mas o luxo foi levado a níveis nunca antes vistos na geração mais recente do modelo.

 

Os passageiros de trás do Range Rover possuem controles multimídia e de ar condicionado. O sistema de vídeo é tão bom ou melhor quanto o das casas mais luxuosas.

 

Extrapolando a customização do Range Rover

A versão Autobiography, nasceu como opção de customização,  sendo a mais luxuosa da gama. Ele traz quase tudo que você pode imaginar dentro de um carro: DVD, geladeira, massageadores nos bancos, várias câmeras espalhadas pelo veículo e até fechamento das portas por sucção. Dá praticamente para morar dentro dele. São enormes as chances de o sistema de entretenimento a bordo do Range Rover ser mais avançado que o da sua casa. O som de alta qualidade fabricado pela Meridian pode ter até 23 alto-falantes (na versão Autobiography) e 1.700 watts de potência. Já a central multimídia traz uma tela com recurso Dual View, fazendo com que motorista e passageiro visualizem informações diferentes na mesma tela simultaneamente.

 

O painel que junta o clássico e moderno. Luxo e tecnologia são características básicas do Range Rover.

A versão Sport

Range Rover ganhou uma versão para quem não prioriza tanto assim sua capacidade de superar obstáculos. Inspirado no conceito Range Stormer, o Range Rover Sport estreou em 2005 de olho nos clientes de Porsche Cayenne. Combinando o porte de um utilitário esportivo grande (quase um “tanque de guerra”), ele traz acelerações capazes de deixar qualquer superesportivo corado de vergonha. Méritos para o motor 5.0 V8 de 510 cv, que também equipa alguns modelos Jaguar. Apesar do porte abrutalhado, o Range Rover perdeu até 420 quilos em comparação com seu antecessor. O segredo está na estrutura monobloco (incorporando chassi e carroceria em uma peça só) feita 100% de alumínio. O material também é empregado na suspensão e em várias peças do motor.

 

Como não poderiam faltar em um esportivo, mesmo off road, freios Brembo equipam as rodas de 21 polegadas do Range Rover.

Ficha Técnica

Modelo Range Rover Sport SE 3.0 V6 Range Rover Sport SVR 5.0 V8 Range Rover SV Autobiography LWB 5.0 V8
Motor
Instalação do motor Dianteiro Dianteiro Dianteiro
Disposição do motor Longitudinal Longitudinal Longitudinal
Cilindros 6 em V 8 em V 8 em V
Diâmetro dos cilindros 84,5 mm 92,5 mm 92,5 mm
Curso dos pistões 89 mm 93 mm 93 mm
Combustível Gasolina Gasolina Gasolina
Cilindrada 2995 cm³ 5000 cm³ 5000 cm³
Taxa de compressão 10,5:1 9,5:1 9,5:1
Válvulas por cilindro 4 4 4
Comando de válvulas Duplo no cabeçote, corrente Duplo no cabeçote, corrente Duplo no cabeçote, corrente
Variação do comando Admissão e escape Admissão e escape Admissão e escape
Aspiração Compressor Compressor Compressor
Alimentação Injeção direta Injeção direta Injeção direta
Câmbio Automático Automático Automático
Marchas 8 8 8
Tração Integral Integral Integral
Desempenho
Velocidade máxima 210 km/h 260 km/h 250 km/h
Aceleração 0-100 km/h 7,2 s 4,7 s 5 s
Potência 340 cv a 6500 rpm 550 cv a 6000 rpm 550 cv a 6000 rpm
Torque 45,9 kgfm a 3500 rpm 69,3 kgfm a 2500 rpm 69,3 kgfm a 2500 rpm
Peso/potência 6,3 kg/cv 4,2 kg/cv 4,4 kg/cv
Potência específica 113,5 cv/l 110,0 cv/l 110,0 cv/l
Peso/torque 46,7 kg/kgfm 33,7 kg/kgfm 34,8 kg/kgfm
Torque específico 15,3 kgfm/l 13,9 kgfm/l 13,9 kgfm/l
Manutenção 1 1 1
Conforto 3 3 3
Consumo urbano 5,8 km/l 5 km/l 4,9 km/l
Consumo rodoviário 7,9 km/l 7,3 km/l 7,3 km/l
Dimensões
Comprimento 4850 mm 4856 mm 5199 mm
Largura 1983 mm 1983 mm 1983 mm
Altura 1780 mm 1780 mm 1840 mm
Entre-eixos 2923 mm 2923 mm 3120 mm
Vão livre do solo 278 mm 213 mm 296 mm
Ângulo de entrada 33 graus 33 graus 34,7 graus
Ângulo de saída 31 graus 31 graus 29,6 graus
Ângulo central 27 graus 27 graus 26,1 graus
Travessia de água 850 mm 850 mm 900 mm
Tanque de combustível 105 litros 105 litros 105 litros
Porta-malas 535 litros 535 litros 535 litros
Diâmetro de giro 12,6 m 12,3 m 13 m
Área frontal (A) 3 m² 3 m² 3,1 m²
Área frontal corrigida 1,110 m² 1,140 m² 1,147 m²
Peso 2144 kg 2335 kg 2413 kg
Chassi
Suspensão dianteira Independente, braços sobrepostos, molas pneumáticas Independente, braços sobrepostos, molas pneumáticas Independente, braços sobrepostos, molas pneumáticas
Suspensão traseira Independente, multibraço, molas pneumáticas Independente, multibraço, molas pneumáticas Independente, multibraço, molas pneumáticas
Freios dianteiros Disco ventilado Disco ventilado Disco ventilado
Freios traseiros Disco ventilado Disco ventilado Disco ventilado
Direção Elétrica Elétrica Elétrica
Pneus dianteiros 275/40 R20 275/45 R21 275/45 R21
Pneus traseiros 275/40 R20 275/45 R21 275/45 R21
Procedência Importado Importado Importado
Configuração SUV SUV SUV
Porte Grande Grande Grande
Ocupantes 5 5 4
Portas 4 4 4

Leave your comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisando de uma ajuda para escolher um veiculo?

Entre em contato